quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Entravista com Hiroki Suzuki, o Geki Red=Kandô Jan, de Jûken Sentai Gekiranger.

Karada ni Minagiru Mugen no Chikara!!
“A Força Infinita que Transborda do Corpo!!”


Frase: Quero tornar popular o modo de falar característico do Jan!

Atuar em uma série Super Sentai era um sonho de quando eu aspirava em ser ator. Quando pequeno, eu assistia muito e pensava, “quero desafiar neste tipo de obra (tokusatsu)”. As séries que eu me lembro de quando era criança são Chôjû Sentai Liveman (1988) e Kamen Rider Black RX (1988). Adorava heróis, tanto em anime como manga.
Na verdade, já concorri a vários auditions destas séries. Desta vez, pelo andamento do audition, acho que o Red de Gekiranger tem uma imagem diferente do todos os Reds até hoje. Daí eu pensei, será que eu fui aprovado por causa disso? (Risos). Na verdade, os amigos que me conhecem a fundo ficaram surpresos. Diziam que eu não seria o Red! Talvez não haja uma grande diferença entre mim e os outros candidatos. Só que o que me “completa” acho que é o vigor e a força de vontade, e principalmente falar em voz alta (Risos). Modéstia parte, acho que 98% de ter sido aprovado foi por sorte. Realmente não imaginava que me tornaria um herói, e fiquei muito feliz.
Kandô Jan é um papel bem difícil mesmo... Ele é um garoto selvagem que fora criado por tigres, não sabe a idade correta e é bem ingênuo, e ao contrário, ora não compreende o coração das pessoas. Enfim, é um papel que não pode ser interpretado numa tensão comum. Quando ví o script pela primeira vez, tentei ler as falas pela minha própria imagem, mas o diretor Nakazawa (Shôjirô) dizia “tá fraco”. Aí eu elevava a tensão, mas ele dizia “ainda tá fraco”, e por várias e várias vezes (Risos). Se eu não elevar o “mecânismo” de tensão ao máximo, sinto que não vou me tornar o Jan.
Além disso, como Jan não compreende muitas palavras, ele expressa seus sentimentos através de uma linguagem própria. Algo como “Wakiwaki” ou “Zowazowa”. Quero fazer modismo desse modo de falar. Se as crianças puderem simpatizar com esse lado cômico, eu ficaria muito feliz. Enfim, quando interpretar o Jan, o que conta é a “concentração” e a “espontaneidade”. De resto, mais importante do que ficar pensando, quero interpretar valorizando o vigor.
O Gekiranger, como um trio, carrega individualmente os seguintes elementos “Kokoro” (Coração), “Waza” (Técnica) e “Karada” (Corpo), e no caso do Jan, interpretado por mim, representa o “Karada”. Como serão muitas as cenas de ação, quero que prestem muita atenção. No começo do primeiro episódio, eu apareço vestido como o Tarzan, espero que atinja as expectativas.
Realmente dá pra aprender várias coisas no local (de filmagem) dos Sentais. Além disso, o ambiente é muito caloroso e dá pra sentir o apoio da maioria do staff. Na gravação de dias atrás, eu estava preocupado com o meu próprio posicionamento, e o cameraman Matsumura (Fumio) deu o seguinte conselho: “Não ligue pra isso, tente interpretar do seu jeito”. Emocionalmente, isso me ajudou muito. É o tipo de pessoa que pensa nos sentimentos do artista.
Araki (Hirofumi), que interpreta Rio, o líder dos Akugata, pertence à mesma agência que eu, a Watanabe Entertainment. [Nota: ambos fazem parte do D-BOYS, um grupo de atores jovens, que revelou nomes como Shunji Igarashi (Hibino Mirai/Ultraman Mebius) e Yûichi Nakamura (Kiriya Kyôsuke/Kamen Rider Hibiki)]. Temos a mesma experiência, já que ele entrou para o D-BOYS no mesmo ano que eu. Por ter sido aprovado no audition do musical “Tennis no Ôji-sama” (Prince of Tennis), passei de reserva a membro oficial do grupo. Foram várias as oportunidades em que nós trabalhamos juntos, e numa conversa, tinha dito que gostaria de fazer algo interessante com ele. De repente estamos nós dois em Gekiranger (Risos). Pra mim, ele é um parceiro fácil de contracenar. Se for com ele, acho que tudo é possível. Por sermos bons amigos, o que será que as crianças vão pensar se nos virem juntos? Isso me deixa intranquilo (Risos). Como nossos papéis são de inimigos, estou ansioso pra saber que tipo de cena nos aguardam.
As filmagens começaram há pouco tempo, mas quero fazer de Gekiranger uma obra com sabor diferente das séries anteriores. Por enquanto não posso dizer muita coisa detalhada, mas espero que todos assistam a série. Yoroshiku Onegai Shimasu!

Suzuki Hiroki – Nascimento: 3/10/1983. Local: Província de Iwate. Tipo Sanguíneo: O. Algumas obras que participou: Tennis no Ôji-sama (Musical&Movie), June Bride (Movie), Cupid no Itazura Nijidama (TV Drama) etc.

Tradução e Adaptação: Michel Matsuda.
Fonte: Revista Toei Hero Max Vol.20
Nota: Fiz o melhor que eu pude, traduzindo e adaptando, mas muitos podem não compreender algumas partes da entrevista. Mantive o texto em primeira pessoa e procurei não mudar muitas frases, mas gostaria que todos compreendessem que o processo de tradução do japonês para o português é algo muito complexo. Nem sempre há uma equivalência entre ambas as línguas. Pra quem quiser ver o texto em japonês, clique aqui.

Marcadores:

1 Comments:

At sexta-feira, fevereiro 09, 2007 10:49:00 PM, Anonymous Shar Ivan said...

Puxa, muito legal, isso quer dizer que Gekiranger já tá bombando durante as gravações. Tomara que fique bom. Percebi um tom diferente, meio que imitando o início de Power Rangers Wild Force, com o Cole meio que taxado como um Tarzan. Vamos ver no que vai dar.

p.s.: Michel, tá sumido cara??

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home